AONDE NOS LEVOU O CAPITALISMO? por Cecilia Ortiz


 

“A história da sociedade humana tem sido, até os dias de hoje, uma história de luta de classes. Libertos e escravos, aristocratas e plebeus, nobres e servos, patrões e empregados; ou seja, em uma palavra, opressores e oprimidos, sempre frente a frente, empenhados em uma luta ininterrupta, algumas vezes velada e, em outras, franca e aberta, o que conduz a cada etapa à transformação revolucionária de todo o regime social ou ao extermínio de ambas as classes beligerantes.

Nos tempos históricos encontramos a sociedade dividida em uma série de segmentos, dentro dos quais reina, cada vez, uma nova hierarquia social de graus e posições. Na Roma antiga são os aristocratas, os cavaleiros, os plebeus, os escravos; na Idade Média, os senhores feudais, os vassalos, os mestres e os oficiais, os servos e, dentro de cada uma dessas classes, ainda nos deparamos com novos matizes e gradações.

A moderna sociedade burguesa que se ergueu sobre as ruínas da sociedade feudal não aboliu os antagonismos de classes. O que fez foi criar novas classes, novas condições de opressão, novas modalidades de luta, que acabaram por substituir as antigas.

Nossa época, no entanto – a época da burguesia – se caracteriza por ter simplificado esses antagonismos entre as classes. Hoje em dia, toda a sociedade tende a separar-se, cada vez mais abertamente, em dois grandes campos inimigos, em duas grandes classes antagônicas: a burguesia e o proletariado”.

Manifesto do Partido Comunista

(Burgueses e Proletários, edição alemã de 1872)

K. Marx & F. Engels

1 http://www.marxists.org/espanol/m-e/1840s/48-manif.htm

 

Este Manifesto, escrito por Marx e Engels há mais de 150 ano não perdeu sua validade e continua representando uma situação que ainda estamos vivendo hoje, no século XXI.

A Revolução Industrial começou em meados do século XVIII. A alavanca que impulsionou a mudança no manejo dos meios de produção, os sistemas de trabalho e a produção acelerada de bens de uma forma maciça e seriada, foi o desenvolvimento de tecnologia mecânica que acelerou os processos de produção e de manufatura. O primeiro exemplo de um aparato que transforma a indústria é a máquina a vapor inventada por James Watt, em 1774. A partir daí, os sistemas e métodos são otimizados para serem mais eficientes e produtivos e é então que a industrialização ganha importância.

Como resultado, foi mais fácil impulsionar máquinas, alavancas e veículos de transporte, tais como trens ou barcos com nova tecnologia. Fato que propiciou uma fabricação acelerada de bens de consumo e sua distribuição aos locais de comércio. Com isso, a mão-de-obra artesanal foi deslocada para fora do mercado. Vale ressaltar que, em 1784, William Murdoch construiu um modelo de carro a vapor que foi o precursor dos automóveis modernos, os quais, anos depois, apareceriam em cena impulsionados por combustíveis fósseis (gasolina).

Finalmente, a máquina a vapor veio a ser uma alavanca para aperfeiçoar os processos produtivos e comerciais.

As relações sociais entre trabalhadores e patrões passam a ser entendidas de outra forma, empregam-se pessoas para que utilizem as máquinas. Os camponeses migram para as cidades em busca de oportunidades, tornando-se dependentes do pagamento de um salário e perdendo habilidades de prover seu próprio sustento.

Enquanto isso, o que sucedia no céu?

Um ano antes da apresentação da Máquina a Vapor de James Watt, começava um novo ciclo entre Saturno e Netuno. Faziam conjunção em Virgem e o pequeno Mercúrio participava felizmente em sua regência, para tornar mais eficiente a Técnica e os novos sistemas de trabalho que começariam a ser delineados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O stellium em Virgem é fortemente apoiado pelo trígono com Plutão a 20 graus de Capricórnio, o signo do poder do capital econômico, das empresas e da estrutura bancário-financeira, que são sustentados por leis e normas governamentais. Surgem grandes consórcios e cooperativas que, a partir da Revolução Industrial, iniciaram uma expansão sem precedentes. Poucos meses depois desta conjunção forma-se um Grande Trígono de Terra entre Urano em Touro, Saturno em Virgem e Plutão em Capricórnio. Essa configuração enfatiza a inovação, a consolidação e a materialização dos métodos de produção.

(Cabe mencionar que, nessa época, Urano ainda não havia sido descoberto oficialmente, porém já estava atuando sem pedir licença, como é seu estilo. Urano foi descoberto e revelado ao mundo em 13 de março de 1781 pelo alemão Friedrich Wilhelm Herschel).

Devido à falta de dados exatos acerca da data da invenção da máquina a vapor, estamos considerando um mapa para o meio do ano de 1774, no qual se observa que o Grande Trígono de Terra continua atuando e agora com a intervenção de mais um “jogador”, o Nodo Norte, que entra em Virgem em 16 de novembro de 1773, permanecendo nesse signo até 14 de maio de 1775, orientando os esforços em prol do serviço eficiente, da organização e do trabalho metódico e detalhado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este processo propicia a aceleração e o domínio do capitalismo na sociedade moderna.

Aquele que tem o dinheiro é o dono das maquinarias e da jornada de trabalho de seus empregados, lhes oferece segurança e a estabilidade do ganho financeiro em troca de seu tempo e de suas vidas.

Nesse contexto, Karl Marx e Friedrich Engels fazem uma crítica à sociedade capitalista com seu Manifesto – reivindicado pelo partido comunista em 1850 – aproximadamente 75 anos depois do início da Revolução Industrial.

Posteriormente, temos uma conjunção muito importante que influi de maneira fundamental na questão dos meios de transporte. Referimo-nos à conjunção Netuno/Plutão, no signo de Gêmeos, que esteve vigente de 1890 a 1893, sendo partil nas seguintes datas:

Netuno Conjunção Plutão 2 Agosto 1891 NS 08° Gêmeos 37′
  5 Novembro 1891 NS 08° Gêmeos 18′
  30 Abril 1892 NS 07° Gêmeos 41′

Esta conjunção provocará uma mudança radical de paradigmas no século XX no que diz respeito à comunicação, conhecimento e locomoção. O automóvel foi aperfeiçoado durante esse século.

Por volta da virada do milênio, no final do século XX e no alvorecer do século XXI, não só a Revolução Industrial já havia gerado uma economia pujante, propiciando a “Globalização”, como também a tecnologia de informação havia rompido as barreiras das horas e da distância, com o advento da Internet.

Tal acontecimento se deve à conjunção Urano/Plutão no signo de Virgem, em meados dos anos 60.

Urano Conjunção Plutão 9 Outubro 1965 17° Virgem 09′
  4 Abril 1966 16° Virgem 27′
  30 Junho 1966 16° Virgem 06′

O processamento massivo de dados e cálculos pelos computadores diminuíam drasticamente o tempo de obtenção de informação e de estatística para a tomada de decisões.  A comunicação de um lado a outro do mundo, através de inúmeros equipamentos eletrônicos, digitais e analógicos, sem importar a hora, é instantâneo e natural.

Os meios audiovisuais se espalharam de um modo imprevisível, as relações comerciais se expandiram a uma velocidade exponencial, nada freava “o progresso criado pela tecnologia”, Nada…?

Os Estados Unidos são o rei da computação e do aparato tecnológico. Lembremos que têm a Lua a 27 graus de Aquário. Na Bolsa de Valores de Nova Iorque está listada a maior parte das empresas de tecnologia (NASDAQ: índice que mede os negócios realizados na Bolsa).

O mapa dos Estados Unidos que utilizaremos para esta análise é o de 4 de julho de 1776, às 5:10 PM, na Philadelphia, Pennsylvania, USA.

Parece que os ditames do destino estão preparando uma mudança fundamental na nossa maneira de viver. Em 21 de agosto de 2017, teremos um eclipse solar a 28 graus de Leão oposto à Lua aquariana dos Estados Unidos,  regente da casa VIII, que fala das finanças de seus sócios comerciais e de seu sistema bancário.

No entanto, o que mais chama a atenção, é o que veremos no mapa astrocartográfico abaixo. A linha do Eclipse do Sol cruza o país de costa a costa, como mostraremos a seguir:

Os eclipses representam mudanças e eventos dramáticos. Se observarmos o mapa astrocartográfico do evento, levantado para Washington D.C., observaremos que as linhas do eclipse passam principalmente pelo estado do Texas – centro de poder energético e econômico originário do petróleo. A produção econômica se baseia nos hidrocarbonetos. Essa situação tende a mudar drasticamente, afetando a produção do Ouro Negro. As linhas do Sol e da Lua passam muito perto das cidades de Dallas e Houston, a Meca das companhias de petróleo.

Agora os interesses econômicos do mundo se voltarão para o Ouro Branco………A ÁGUA POTÁVEL. Essa será a mercadoria do futuro próximo.  Enquanto a economia, que por muitos anos se baseou no comércio dos energéticos, sofrerá um grave desequilíbrio, propiciando uma crise mundial.

Aproximamo-nos de 2020, ano da tríplice conjunção: Júpiter/Saturno/Plutão em Capricórnio:

Saturno Conjunção Plutão 12 Janeiro 2020 22°Cp46′
Júpiter Conjunção Plutão 4 Abril 2020 24°Cp53′
    30 Junho 2020 24°Cp06′
    12 Novembro 2020 22°Cp51′
Júpiter Conjunção  Saturno 21 Dezembro 2020 00°Aq29′

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Temos o alinhamento de 1 luminar, 4 planetas, o nodo sul e a parte da fortuna em Capricórnio, indicando que se requer uma mudança drástica das normas, regulamentações e da economia. Plutão é o planeta que extermina e modifica radicalmente o que toca para que haja uma regeneração. Parece que está nos indicando que nosso modelo econômico e de estrutura social já se esgotou.

A Revolução industrial que, em seu início, teve o apoio de Plutão àquela conjunção Saturno/Netuno em 1773, conforme mencionamos no início desse artigo, já chegou a seu fim. Uma nova economia deve surgir adiante. Saturno, ao fazer conjunção com Plutão, estressa a situação, provocando restrição econômica, escassez e ruptura dos sistemas bancários e financeiros. Aquelas estruturas que nos davam certeza e confiabilidade econômica serão descartadas. O dinheiro, no formato que agora conhecemos, papel ou moeda, será obsoleto. Os governos exercerão um controle estrito sobre os cidadãos, tentando inutilmente sustentar o insustentável. A mudança é iminente, a exploração indiscriminada dos recursos naturais deixou a Terra enferma. Não há produção suficiente de alimentos e o clima está desestabilizado. Os interesses criados e as grandes corporações despencam.

A economia dos Estados Unidos será a mais atingida, uma vez que a tríplice conjunção cai em sua casa 2, afetando suas receitas financeiras e, somado a isso, aproxima-se seu retorno de Plutão nos próximos anos, exatamente nessa casa de valores e dinheiro, agravando mais ainda o panorama.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E qual o sentido disto? Por quê? Em uma visão muito particular, considero que o consumismo exercido sem consciência nos levará a esgotar nossa fonte de sustento. Teremos que nos confrontar com as consequências de nosso estilo de vida, produto da Revolução Industrial. Acabamos por perder nossa habilidade de produzir nosso próprio sustento, já que a tecnologia e as máquinas fazem tudo por nós.

A conjunção de Júpiter e Saturno em Aquário, a primeira de uma série de conjunções dentro dos próximos 200 anos, que a partir de 2020 acontecerão no elemento ar. Fala que devemos agir com solidariedade, fraternidade e na busca de uma sociedade mais livre, autônoma, igualitária e equitativa. Onde se estabeleçam relações visando construções que favoreçam a todos. Também nos anunciam uma economia digital, onde a moeda metálica será apenas uma recordação de museu. Daí:

O dinheiro eletrônico será o meio de compra e consumo?

Terá acabado o dinheiro tangível?

Um sutil e subterrâneo sistema de trocas ocorrerá entre os cidadãos?

A tecnologia ganhará vida e passaremos a conviver com robôs?

Mas enquanto uma provável realidade de ficção se aproxima, o que podemos fazer agora para melhorar nossa situação e construir um mundo que nos brinde com qualidade de vida e desenvolvimento saudável?

• Define suas prioridade e metas pessoais
• Estabelece o Plano A e B de sua vida para os próximos 15 anos, em períodos de 5 em 5 anos
• Faz uma revisão da sua realidade econômica e adapte-se a ela
• Analisa suas habilidades e desenvolve-as para torná-las uma fonte de sustento
• Evite dívidas e gere poupança
• Compre ouro ou prata, os metais servem como moeda de troca
• Desenvolva novos produtos necessários para a sociedade
• Consiga um terreno, plante hortaliças e árvores frutíferas. Guarde sementes e assegure o fornecimento de água

O desenvolvimento espiritual que alcancemos nos permitirá enfrentar as crises e as novas situações que a estrutura da economia e da mudança climática nos levarão a viver.

Para manter a harmonia interna e lidar com a transição, são sugeridas as seguintes estratégias:

• Permaneça pacífico e sereno, independentemente das circunstâncias
• Observe de forma desapegada e sem envolvimento, as situações críticas
• Atue com altruísmo e solidariedade, buscando o benefício comum
• Procure compreender o sentimento do outro e tenha compaixão por sua condição
• Concentre a mente em pensamentos elevados
• Tenha bons desejos e pensamentos positivos para todos: Fé, alegria, flexibilidade, adaptabilidade, improvisação, discernimento, constância, tenacidade e paciência
• Desenvolve a capacidade de transcender o medo e a dor
• Busca a inspiração em visões construtivas, valores de bem estar comum e no amor universal
• Aprende a ver a inter-relação entre as coisas, as pessoas e os acontecimentos

Bênçãos
Cecilia Ortiz Bullé Goyri
Astróloga
casadelastrologo@hotmail.com
Curriculum Astrológico

• Iniciei meus estudos de astrologia em 1995, com diversos professores nacionais e internacionais
• Diretora da “La Casa de Astrólogo”
• Presidente do Conselho Mexicano para a Investigação Geocósmica, filial do México da NCGR (National Council for Astrological Research)
• Membro do corpo diretor do Encontro de Astrólogos do México ENASTROME
• Palestrante em diversos congressos, sendo o último no México D.F. ENASTROME 2013, com a conferência “Los Anos Por Venir”
• Participação como aluna no Congresso da NCGR em Baltimore USA, em 2007.
• Assistência ao Congresso de Astrólogos Unidos, Congresso Mundial de Astrologia, UAC (2008 Denver e 2012 New Orleans)
• Assistência ao Congresso do ISAR 2001 em Los Angeles CA, Estados Unidos
• Frequência ao Congresso do ISAR 2001 em Los Angeles, CA, EUA
• Certificado NCGR-II CPAA
• Autora do Astrolábio: fichas auxiliares para a interpretação astrológica
• Professora e conferencista de diversos temas de astrologia
• Formação de alunos para obterem a certificação da NCGR
• Estudiosa de temas como Estrelas Fixas, Astrologia Tradicional e Sinastrias.
• Minha prática profissional tomou impulso a partir de 2001, quando, em conjunto com Graciela Salazar, fundamos a escola de astrologia “La Casa del Astrólogo”.
• Ministro aulas desde 2001 até a presente data
• Escrevi artigos para as revistas: Observaciones Astrológicas, Casa 9 e “Los Siervos de Tlalpan”
• Conferencista no CIMA 2002 em Guadalajara, Jalisco, México, com o tema “Sinastrias”
• Participei, de 2005 a 2008, do programa de rádio “La Otra Dimensión” com Victor Tolosa, radio FM aberta
• Coordenadora, por 6 meses, do programa de rádio por internet, “Astrosofia de Planeta 2013” em 2009
• Coordenadora, por 10 meses, do programa de rádio por internet “Astrolábio de Planeta 2013”, de 2011 a 2012
• Entrevistada em rádio por internet, programa “ASTROSENDA” com Kitty Bracho
• Participações em TV a cabo: Vibra TV
• Atualmente realizando “Cápsulas Astrológicas” em DMF TV
• Administradora das páginas de Facebook:
• https://www.facebook.com/cecilia.ortizbullegoyri
• https://www.facebook.com/astroCmig?ref=hl
• https://www.facebook.com/2oEnastromeEncuentroDeAstrologosEnMexico?ref=hl
• https://www.facebook.com/pages/La-Casa-del-Astr%C3%B3logo/200839096618491?ref=hl
• Membro no Blog de Astrólogos do Mundo

 

Este artigo foi traduzido do espanhol para português pelas colaboradoras Gleide Furtado e Maria Virginia Fernandes.

 

“As opiniões expressas neste artigo espelham o pensamento do autor, e não representam necessariamente a posição do SINARJ. Como órgão de classe, o SINARJ adota uma posição de neutralidade, valorizando a diversidade e respeitando a liberdade de pensamento de seus colaboradores, exceto em casos de manifestações de intolerância racial, política, ideológica, religiosa ou de gênero.”

 

Por Cecilia Ortiz